Glossário

Adega – Cave, Empresa Vinícola.

Bagaceira
 – Aguardente portuguesa proveniente da destilação de bagaços.
 
Bruto – Vinhos espumantes com teor de açúcares inferior a 12g/l.

Casta 
– Tipo de videira.

Colheita
 – Ano, vindima.

Colheita tardia – Designa um vinho feito com uvas vindimadas mais tarde do que o normal, originando vinhos com teores de açúcar mais elevados.
 
CVR – Acrónimo de “Comissão Vitivinícola Regional”.

DOC (Portugal) or DOP (Europe) – Denominação de Origem Protegida: É a mais alta categoria oficial de qualidade Europeia, com regras específicas para cada região a nível de castas permitidas, métodos de vinificação, teor alcoólico, etc.

Doce – Um vinho é doce quando contém mais de 50 g/l de açúcares redutores (glicose e frutose). 

Estágio – Maturação de um vinho.

Garrafeira
 –  Denominação oficial para vinho DOC / DOP e vinho IGP com ano de colheita e envelhecimento mínimo: para vinho tinto e envelhecimento de pelo menos 30 meses, dos quais pelo menos 12 meses em garrafa de vidro; Para vinhos brancos e rosas, envelhecimento de pelo menos 12 meses, dos quais pelo menos 6 meses em garrafa de vidro. Também significa loja de vinho ou adega em português.

Generoso/Licoroso – Vinho fortificado, regra geral obtido por adição de álcool ou aguardente vínica,durante o processo de vinificação, interrompendo esta.
 
Grande Reserva – Designação oficial para vinho DOC / DOP e vinho IGP com características organolépticas destacadas e um título alcoométrico igual ou superior a (em 1% por volume) o limiar mínimo estabelecido como avaliado pelo painel da Comissão Vitivinícola Regional. O uso desta designação requer a indicação do ano da safra.

IVV – Acrónimo de “Instituto da Vinha e do Vinho”.

Lagar –  Tanque de fermentação, geralmente pouco profundo, em granito, mármore, cimento ou aço inoxidável onde as uvas são esmagadas através de "pisa a pé" ou mecanicamente.

Meio Seco –  Champagne, espumante e vinhos espumosos que têm um conteúdo em açúcar residual entre 33 g/l e 50 g/l.

Quinta/Herdade – Sítio, propriedade ou fazenda sendo que Quinta é uma designação tradicionalmente mais usada a Norte do País e Herdade mais usada a Sul do país.

Reserva – Uma designação de qualidade superior para os vinhos DOP, e que tem de ser certificada pela entidade certificadora (CVR ou IVDP).

Seco – Vinhos com teor de açúcares não superior a 4g/l.

Selecção do Enólogo – Designação não oficial para um vinho recomendado pelo enólogo.

Vinha – Terreno plantado com videiras.
  
Vinho – Produto obtido exclusivamente pela fermentação alcoólica total ou parcial da uva fresca, pisada ou não, ou então do mosto de uvas frescas, cuja graduação alcoólica adquirida não pode ser inferior a 8,5%, que deve ser bebível e adequada para o consumo, elaborada conforme a lei.

Vinho Branco –
 Vinho branco feito a partir de uvas brancas.

Vinho Espumante – Vinho que se obtém através da segunda fermentação do vinho em garrafa pela adição de leveduras (método clássico ou champanhês). Também se pode obter pela segunda fermentação em cuba fechada (método contínuo).
 
Vinho Regional (Portugal) ou IGP (Europa) –  De uma área específica e sujeito a regras muito amplas no que toca às castas permitidas e ao método de vinificação. Classificação muitas vezes utilizada para vinhos de grande qualidade que não se enquadram nasregras das DOP's. 

Vinho Tinto – O vinho tinto obtém-se por fermentação do mosto de variedades tintas, pigmentado pela maceração das matérias sólidas que têm um forte poder corante.

Vinho Tranquilo – Vinho de mesa. Expressão tradicionalmente utilizada por oposição com os vinhos espumantes e licorosos.

Vinho Varietal 
– Vinho elaborado com uma só variedade nobre, ou com um domínio absoluto desta cepa.

  • Facebook
  • Twitter
  • Youtube